quarta-feira, 13 de abril de 2011

O principezinho


    A minha paixão pelos livros começou tinha eu 7 aninhos, quando alguém da família me ofereceu um volume d' "O Principezinho". À primeira vista lembro-me de não me ter despertado o mínimo interesse  porque,não só os "desenhos" eram estranhos, como também me pareceu que tinha texto corrido a mais para o meu gosto, mas de qualquer das formas, decidi-me a fazer de menina crescida e comecei a lê-lo. Bom, posso dizer que me causou uma impressão que dura até aos dias de hoje: fiquei maravilhada! O livros conta-nos as aventuras de um menino-príncipe que vive num planeta só seu e que decide visitar os planetas que o rodeiam, encontrando pelo caminho a maldade, a ganância, a prepotência, a vaidade, o egoísmo, mas também descobre a amizade que nunca teve numa raposa que encontra na sua visita à Terra. Bem, uns anos mais tarde voltei a ler este livro e foi aí que percebi que talvez não fosse um livro apenas dirigido a crianças; claro que me entreteve muito esta aventura quando era mais nova, mas quando o li mais recentemente pareceu-me que o seu significado tinha algo de  muito profundo e só  podia ser entendido por pessoas com alguma experiência. Explora muito a condição humana, a ruindade do mundo e também nos fala do poder das coisas boas, como a amizade. O autor faz muitas observações sobre o mundo e expressa muitas máximas sobre a vida em geral. Gosto mesmo muito deste livro e recomendo vivamente a todos.


Algumas citações interessantes:

"Os caminhos vão todos dar aos homens."

"Os homens não têm imaginação,repetem o que se lhes diz."

"O verdadeiro amor nunca se desgasta, quanto mais se dá, mais se tem."

"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos."

Nenhum comentário:

Postar um comentário