domingo, 5 de maio de 2013

Actualização




Ontem terminei a leitura de "A Filha da Floresta" e já comecei a ler " O Filho das Sombras". Espero em breve ler também " A Filha da Profecia". Como muitos de vocês sabem estes três livros compõem a Trilogia de Sevenwaters escrita por Juliet Marillier, como tal penso escrever um único post com a minha opinião da trilogia, de que estou a gostar muito até agora.
Boas leituras :)

Máscara de Raposa - Juliet Marillier




Sinopse 
Neste livro, a sequela de O Filho de Thor, primeiro livro da Saga das Ilhas Brilhantes, Juliet Marillier prossegue a narrativa das aventuras de Eyvind. 
Ao atingir a maioridade, Thorvald descobre um segredo terrível e parte numa perigosa viagem em busca do pai que nunca conheceu à ilha do Povo dos Facas Longas. Acompanha-o a sua grande amiga Creidhe, filha de Eyvind, o Pele-de-Lobo. Este povo é governado por um tirano cruel, e com o nascimento de um bebé, Creidhe descobre a terrível verdade sobre a maldição dos Facas Longas. E quando descobrem como poderão acabar com ela, temem que seja demasiado tarde...

Opinião
Esta é a continuação dos acontecimentos d' "O Filho de Thor", de que podem ler a opinião aqui no blog. 
Embora ache que o primeiro tenha sido melhor, não me parece que este fique muito aquém, embora os personagens sejam um pouco menos admiráveis e a história em si não me tenha cativado tanto. 
Em primeiro lugar é de salientar que o enredo é bastante mais dark e que nem sempre me agradaram as decisões dos personagens. Guardião, por exemplo, não se importava de matar e tinha atitudes quase selvagens e, embora eu consiga perceber os seus motivos não consigo compreender os seus actos. 
Gostei muito de Creidhe e também de Somerled, que provavelmente é um dos meus personagens preferidos de sempre. 
De resto, é um livro que apela bastante às emoções e que me deixou agarrada até ao último instante. Tenho de admitir que Juliet Marillier sabe prender os seus leitores. 
Gostei bastante!

Classificação: 4/5

A insustentável leveza do ser - Milan Kundera


Sinopse:
A Insustentável Leveza do Ser é seguramente um dos romances míticos do século XX, uma daquelas obras raras que alteram o modo como toda uma geração observa o mundo que a rodeia.

Opinião:
A Insustentável Leveza do Ser é um daqueles raros livros que tem uma história que  me fascinou e ao mesmo tempo me deu muito que pensar. Que se desenganem os que pensam que este é um livro fofinho e "levezinho". Fala-nos sobre o que realmente significa "ser" e  sobre o que diferentes pessoas procuram na vida.
Para ser sincera, não sei bem o que dizer sobre este livro, apenas que se encontra recheado de dor, angústia e dúvida, mas também lida com amor. É lindo e parte-nos o coração. Enoja-nos e enternece-nos. É sobre amor e sexo, felicidade e sofrimento. 
A escrita é uma verdadeira obra de arte, o que me fez gostar ainda mais dele. E a verdade é  que gostei mesmo muito.

Classificação: 5/5