segunda-feira, 23 de julho de 2012

Animal Farm - George Orwell


Sinopse:


Edição inglesa da Penguin:
Mr Jones of Manor Farm is so lazy and drunken that one day he forgets to feed his livestock. The ensuing rebellion under the leadership of the pigs Napoleon and Snowball leads to the animals taking over the farm. Vowing to eliminate the terrible inequities of the farmyard, the renamed Animal Farm is organized to benefit all who walk on four legs. But as time passes, the ideals of the rebellion are corrupted, then forgotten. And something new and unexpected emerges...Animal Farm – the history of a revolution that went wrong – is George Orwell’s brilliant satire on the corrupting influence of power.

Edição portuguesa da Europa-América:
Publicado pela primeira vez em 1945, O Triunfo dos Porcos transformou-se na clássica fábula política deste século. Acrescentando-lhe a sua marca pessoal de mordacidade e perspicácia, George Orwell relata a história de uma revolução entre os animais de uma quinta e o modo como o idealismo foi traído pelo poder, pela corrupção e pela mentira.

Opinião:
Tenho este livro há anos e nunca me tinha resolvido a lê-lo. Numa incursão pelas minhas estantes lá o descobri no meio de outros livros e decidi dar-lhe uma oportunidade. E ainda bem que o fiz. 
O livro é todo ele uma sátira política que se baseia na revolução russa e critica abertamente Estaline e o Estalinismo. Mesmo Orwell descreveu a obra como "contre Stalin".  
Tudo começa com a revolução dos animais da quinta contra o homem, que evolui ao longo do livro para o governo prepotente e sem escrúpulo de Napoleon (um dos porcos da quinta que mais tarde se torna o "Leader"). Estabelece-se um paralelo entre a corrupção do Homem pelo poder e o que acontece na quinta sob o ambiente extrema e brutalmente repressivo do domínio de Napoleon. Os outros animais, menos inteligentes e extremamente crédulos, deixam-se levar pelo que lhes é dito pelos porcos e pela sensação de liberdade (embora aparente) por se terem visto livres dos humanos, enquanto o sonho de uma existência sem pessoas se desmorona à sua volta sem darem conta de tal e os que os governam conspurcam os bons ideais que cimentaram a revolução.
Uma óptima leitura, recomendo!

Classificação: 5/5   

The Great Gatsby- F.Scott Fitzgerald

Sinopse:

Edição inglesa da Collins Classics:
'I believe that on the first night I went to Gatsby's house I was one of the few guests who had actually been invited. People were not invited -- they went there'. Considered one of the all-time great American works of fiction, Fitzgerald's glorious yet ultimately tragic social satire on the Jazz Age encapsulates the exuberance, energy and decadence of an era. After the war, the mysterious Jay Gatsby, a self-made millionaire pursues wealth, riches and the lady he lost to another man with stoic determination. He buys a mansion across from her house and throws lavish parties to try and entice her. When Gatsby finally does reunite with Daisy Buchanan, tragic events are set in motion. Told through the eyes of his detached and omnipresent neighbour and friend, Nick Carraway, Fitzgerald's succinct and powerful prose hints at the destruction and tragedy that awaits. 

Edição portuguesa da Bertrand:
Justamente considerada uma das mais importantes obras de ficção do século XX, O Grande Gatsby é um retrato notável da era dourada do jazz em toda a sua decadência e excessos. Pelos olhos do provinciano Nick Carraway, conhecemos a história do misterioso Jay Gatsby, um milionário que subiu na vida a pulso, movido pela paixão quixotesca que nutre pela jovem Daisy, uma rica herdeira bela e frívola. A sua obsessão por ela fá-lo reinventar-se para por fim poder reclamar a sua amada, numa autêntica encarnação do sonho americano. Porém, o reencontro de ambos acaba por desencadear uma série de acontecimentos trágicos, com Gatsby a ser vítima não apenas da sua ambição, mas da insensibilidade e falta de valores que imperam na sociedade americana da época.

Opinião:

Comprei este livro por saber que é um clássico considerado muito bom por toda a gente que o leu. Por acaso, estava à espera de ter pela frente uma leitura maçadora e demasiado densa, mas enganei-me. A história flui muito bem, enriquecida pelas descrições do personagem omnipresente Nick Carraway, o vizinho do milionário Jay Gatsby. Gatsby personifica os excessos e a atitude inconsequente que caracterizam a época em que se passa o livro (The Roaring Twenties). O livro foca-se muito no que há por detrás das aparências e em como a mente se pode deixar corromper por ideias utópicas. 
Deixou-me a pensar que talvez nem sempre consigamos divisar bem de que são feitas as pessoas que nos rodeiam e que, muitas vezes a culpa ou a inocência  podem ser coisas muito subjectivas. É um livro que revolve sobretudo em torno da natureza humana, da destruição de sonhos e do peso das decisões que se tomam na vida. E, embora a história seja simples é bastante intensa e o autor tem uma forma de escrever fenomenal. 
Gostei imenso e recomendo a leitura a qualquer pessoa.

Classificação: 4,5/5  

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Leituras de Verão: Sugestões






Clássicos: 
The Great Gatsby, F.Scott Fitzgerald (opinião brevemente no blog)
Persuasão, Jane Austen
Great Expectations, Charles Dickens
A Idade da Inocência, Edith Wharton
A Pérola, John Steinbeck
O Retrato de Dorian Grey, Oscar Wilde
Cem anos de solidão, Gabriel Garcia Márquez

Romance Histórico:
A Rapariga que Roubava Livros, Markus Zusak
A Praia do Destino, Anita Shreve
Expiação, Ian McEwan
Sob um céu de mármore branco, John Shors
O Bandolim do Capitão Corelli, Louis de Bernières

Romance Contemporâneo:A Doçura da Chuva, Deborah Smith 
Chocolate, Joanne Harris
A Praia Roubada, Joanne Harris
Antes de eu morrer, Jenny Downham
O Tigre Branco, Aravind Adiga

Mistério e Crime: 
Rebecca, Daphne DuMaurier
Northanger Abbey, Jane Austen 
Série de Livros do Hercule Poirot, Agatha Christie
O Segredo de Shakespeare, Jennifer Lee Carrell

Juvenil:Mulherzinhas, Louisa May Alcott
Papá das Pernas Altas, Jean Webster
A Evolução de Calpurnia Tate, Jacqueline KellyO Principezinho, Antoine de Saint-Exupèry
Alice no País das Maravilhas, Lewis Carrol

Fantasia e Aventura:
A Song of Ice and Fire, série por George R.R.Martin 
As Crónicas de Nárnia, C.S. Lewis
A Cidade dos Deuses Selvagens, Isabel Allende

Chick-lit:Uma rapariga dos anos vinte, Sophie Kinsella
Caffè Amore, Nicky Pellegrino

Non-fiction:O Diário de Anne Frank
Sete Anos no Tibete, Heinrich Harrer



domingo, 8 de julho de 2012

O que comprei e o que me emprestaram...

Ultimamente não tenho actualizado o blog, mas desde a última vez que o fiz já adquiri vários livros:

Emma, Jane Austen
Mansfield Park, Jane Austen
A Tale of two cities, Charles Dickens
Midnight's Children, Salman Rushdie
O Deus das Pequenas Coisas, Arundhati Roy
Os Pilares da Terra vol.1, Ken Follett
A Clash of Kings, George R. R. Martin
Vida Privada, Jane Smiley
O espelho negro, Juliet Marillier
As Regras da Casa de Cidra, John Irving
Uma menina de Boas Famílias, Elizabeth Edmondson

Outros foram-me emprestados:

O Filho de Thor, Juliet Marillier
Máscara de Raposa, Juliet Marillier
As Crónicas de Nárnia (vol.1-7), C.S. Lewis
Segue o Coração, Lesley Pearse

 Espero conseguir ler isto tudo nas férias! 

As Crónicas de Nárnia : O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa - C.S. Lewis


Sinopse:

Publicado em 1950, O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa é o segundo volume das célebres crónicas, seguindo-se a O Sobrinho do Mágico. A aventura começa durante a Segunda Guerra Mundial, quando Peter, Lucy, Edmund e Susan são obrigados a sair de Londres e a instalar-se numa pequena cidade em Inglaterra, na casa de um professor solteirão. Enquanto exploram a mansão, Lucy descobre uma passagem secreta muito especial no guarda-fatos do velho professor, que dá acesso a um misterioso mundo...

Opinião:

Emprestaram-me a colecção de livros d' "As Crónicas de Nárnia", um conjunto de livros dirigidos a crianças , mas nem por isso menos interessantes que livros mais "adultos". Quando era mais nova li "O Sobrinho do Mágico" e, como ainda me lembrava bastante bem da estória, decidi começar pelo "O Leão, a Feiticeira e o Guarda-Roupa". Já tinha visto o filme várias vezes, por isso já conhecia bem a estória e os personagens mas, mesmo assim quis lê-lo. Não me arrependi nem por um momento - o livro é pequeno mas delicioso, divertido,tocante, edificante...
Tudo começa quando, para se refugiarem dos bombardeamentos à capital, Londres, quatro irmãos são enviados para uma mansão pertencente a um simpático professor. A casa é enorme e cheia de misteriosos quartos e como tal, as crianças decidem ir explorá-la. Lucy é a primeira a descobrir que, indo pelo guarda-roupa de um dos quartos, se chega a um mundo mágico,Nárnia, governado pela Rainha Branca, uma feiticeira maléfica que dita que seja sempre Inverno. Mas nem sempre foi assim e os quatro irmãos vão ter um papel preponderante em reverter Nárnia àquilo que uma vez fora.É uma leitura rápida, que entretém, recomendo! 

Classificação: 4/5

A Clash of Kings - George R. R. Martin




Sinopse:

Quando um cometa vermelho surge nos céus de Westeros encontra os Sete Reinos em plena guerra civil. Os combates estendem-se pelas terras fluviais e os grandes exércitos dos Stark e dos Lannister preparam-se para o derradeiro embate.
No seu domínio insular, Stannis, irmão do falecido Rei Robert, luta por construir um exército que suporte a sua reivindicação ao trono e alia-se a uma misteriosa religião vinda do oriente. Mas não é o único, pois o seu irmão mais novo também se proclama rei, suportado por uma hoste que reúne quase todas as forças do sul. Para pior as coisas, nas Ilhas de Ferro, os Greyjoy planeiam a vingança contra aqueles que os humilharam dez anos atrás.
O Trono de Ferro é ocupado pelo caprichoso filho de Robert, Joffrey, mas quem de facto governa é a sua cruel e maquiavélica mãe. Com a afluência de refugiados e um fornecimento insuficiente de mantimentos, a cidade transformou-se num lugar perigoso, e a Corte aguarda com medo o momento em que os dois irmãos do falecido rei avancem contra ela. Mas quando finalmente o fazem, não é contra a cidade que investem...
O que os Sete Reinos não sabem é que nada disto se compara ao derradeiro perigo que se avizinha: no distante Leste, os dragões crescem em poder, e não faltará muito para que cheguem com fogo e morte!

(sinopse de "A Fúria dos Reis" parte 1 do livro em português) 

Opinião:

Bem se existe um autor que nos consegue pôr em pulgas para saber o que vem a seguir é com certeza George R.R. Martin! Este livro é absolutamente fantástico e, mais uma vez me deixa extremamente ansiosa para saber o que se segue a tanta emoção. Os personagens são tão imperfeitos e marcados pela sua vida e isso transparece na escrita de Martin... Acreditem, se há coisa que ele não é, é compassivo em relação aos seus personagens; mas isso não é necessariamente mau - faz-nos sentir! Sentimos quase como se lá estivéssemos. A sua escrita é dotada de um realismo que, embora o livro possa ser considerado literatura fantástica, me parece que tudo aquilo poderia ter acontecido!
Bem, depois de um primeiro contacto com os personagens no primeiro livro (e que personagens! densos, dotados de carácter e vida própria) consigo agora solidificar as minhas preferências. Definitivamente o Tyrion Lannister é o melhor personagem e também o meu preferido, mas a par dele vêm muitos outros: Arya Stark, Jon Snow, Daenerys Targaryen, Jamie Lannister, Cersei Lannister, ( o Jamie e a Cersei são daqueles que amo odiar, embora em relação ao Jamie os meus sentimentos sejam ambíguos na maior parte das vezes...). A Sansa Stark é uma personagem que detestei no primeiro livro, mas de quem estou a começar a gostar bastante depois deste livro.    
Obviamente, não recomendo o livro a quem não tenha lido o primeiro. Pessoalmente, gostei mais deste mas, preparem-se para muitas emoções fortes e reviravoltas na história. Mal posso esperar para ler o seguinte!

Classificação: 5/5