sexta-feira, 29 de julho de 2011

Férias!


Vou estar uns dias fora e provavelmente não vou poder postar... 
Boas férias a todos !!

terça-feira, 26 de julho de 2011

Música do dia - Amy Winehouse: Valerie


Perdeu-se uma voz única, gostava que tivesse tido uma boa vida, mas não foi assim e todos sabemos porquê.
Assumo-me como fã do trabalho dela, independentemente de nunca ter aprovado as suas escolhas. Lamento que se tenha perdido.


segunda-feira, 25 de julho de 2011

Uma rapariga à moda antiga - Louisa May Alcott


Sinopse:
Polly, uma camponesa com poucos recursos, vai para a grande cidade e encontra um mundo que a ultrapassa por completo,um mundo regido pelas aparências e pela hipocrisia, no qual com o seu coração de ouro e a sua infinita paciência, deverá aprender a encaixar e conquistar o seu lugar. Um romance destinado a comover profundamente o coração das suas leitoras,como já o fez Mulherzinhas, da mesma autora.

Opinião:
Polly é uma rapariga pobre que vive no campo e vai visitar Fanny Shaw, a sua amiga da cidade. Na casa de Fanny, depressa se deixam todos conquistar pelos modos alegres e pela sensatez de Polly, características em desuso na época. Esta personalidade atípica e as roupas simples que usa levam-na a ser considerada antiquada. Mas Polly é mesmo uma rapariga diferente das meninas mimadas e fúteis e por isso é estimada pela família Shaw, principalmente pelo Sr. Shaw, pela avó e por Tom,o irmão de Fanny. O livro conta-nos também a vida destas pessoas, seis anos após esta visita, quando Polly, Fanny e Tom são já adultos e têm de lidar com os problemas da vida e com o amor.
Gostei muito de ler este livro, e gostei especialmente das travessuras e partidas de Tom e do amor e ternura que unem os personagens. É um livro sobre a família, sobre os laços, a pobreza e a riqueza e a coragem de não baixar os braços nas adversidades. É um livro ternurento e talvez mais indicado a um público mais jovem, mas de qualquer das maneiras, encheu-me as medidas. Recomendo!

Classificação:4/5

O Bandolim do Capitão Corelli - Louis de Bernières


Sinopse:
A ilha grega da Cefalónia, aparentemente bendita pelos deuses, vai ser palco, a partir de 1939, de uma série de dramáticos acontecimentos. À ocupação italiana sucede-se a invasão alemã, com o seu cortejo de execuções. Depois de 1945 é a vez de os comunistas imporem a sua lei. E quando, finalmente, a paz parecia ter regressado, o mortífero terramoto de 1953 devastou toda a ilha. No meio de tantos dramas, como se tecem os destinos individuais? Um amor tão frágil, como o da Pelágia, a bonita grega, e do sedutor capitão Corelli pode resistir? Resiste-se ao ódio, ao medo, à fome, à loucura e à morte? É possível continuar a viver quando nada mais resta para lhes opor senão memórias, um resto de ternura, música – ah! A música de um certo bandolim...?

Opinião:
Li este livro duas vezes, e fi-lo pois a primeira vez que o li era ainda muito nova e, embora tivesse gostado dele dessa vez, não o compreendi como merecia ser compreendido. Tenho por hábito reler livros, mas esta vez, mais do que uma re-leitura, foi uma redescoberta das belas paisagens e das encantadoramente provincianas gentes de Cefalónia e da música inebriante de um bandolim napolitano. 
Este não é o típico romance, em que fica sempre tudo bem e os maiores desgostos são os de amor; não, neste livro todos sofrem na pele as agruras da guerra e da traição e não somos poupados a retratos das situações mais repulsivas, no entanto,o autor tece os cenários mais belos e os amantes mais sonhadores.
Em suma, é um livro único- é uma miscelânea de romance, ironia, sátira e tristeza - que mistura os factos reais dos tormentos de uma ilha e dos seus habitantes com os seus personagens ficcionais dotados de enorme realismo. De facto, acho que são os personagens que dão cor a toda a obra pois estão muitíssimo bem construídos, e embora tenham todos histórias de vida tão diferentes, estas complementam-se na perfeição.
A escrita do autor é magnífica, principalmente quando descreve.As sátiras políticas são bem divertidas assim como a credulidade e supersticiosidade dos ilhéus, os episódios do padre Arsenios e as guerras entre um comunista e um socialista que, no fim de contas são os melhores amigos.
O história entre Corelli e Pelagia é também muito bonita, mas fiquei um bocado descontente com o final.
De qualquer das formas é um dos melhores que já li e recomendo a toda a gente!

Classificação: 5/5

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Papá das Pernas Altas - Jean Webster



Sinopse
Judy Abbott é uma rapariga alegre, cordial e trabalhadora que não conhece o mundo além dos muros do orfanato onde foi criada...até que a sua vida dá uma reviravolta quando um misterioso milionário decide conceder-lhe uma bolsa para que vá à universidade e siga uma carreira de escritora. Judy não sabe nada do seu benfeitor, só que tem as pernas muito longas, e fará tudo o que for possível para descobrir qual é a sua verdadeira identidade.
Papá das Pernas Altas é o relato de uma mulher que procura encontrar o seu lugar na vida, uma grande história de amor temperada com generosas doses de humor.

Opinião:
"Papá das Pernas Altas"...Lembro-me de pensar que é um título pouco usual, talvez para um livro infantil fosse adequado, não para um livro para adultos. Na verdade, agora que o li não acho que seja um livro nem dirigido a mulheres adultas nem a crianças, mas sim a adolescentes e jovens adultas. A linguagem, o tema, o desenvolvimento da história lembram-me os livros que lia quando era mais nova. Não quero com isto dizer que uma mulher mais madura não aprecie o livro, antes pelo contrário. Eu, como jovem adulta, devo dizer que gostei imenso - não tanto pela história em si, que achei bastante simples - mas pelo humor que permeia a escrita da autora e pela ternura que senti pela protagonista. Também gostei bastante da forma como está escrito - é um romance epistolar. Foi a minha primeira incursão por este género e não fiquei desiludida.
Neste livrinho, conhecemos Jerusha (Judy) uma órfã que é mandada para a universidade por um rico benfeitor, que só espera que Judy escreva uma carta mensal a contar os seus progressos nos estudos, no entanto esta não deverá esperar qualquer resposta e não terá direito a saber a sua identidade .
Judy vai então para a Universidade onde faz amizades, vive muitas experiências que nunca pôde viver encerrada no Orfanato, lê obras de referência mundial e pelo caminho, conhece o amor. É um livro acerca da transformação de uma jovem órfã numa mulher culta, com consciência social e que luta por concretizar o seu sonho de ser escritora e ter direito ao amor.
Recomendo, principalmente se procuram um livrinho bem-disposto que se lê num ápice!

Classificação: 4/5


domingo, 17 de julho de 2011

quinta-feira, 14 de julho de 2011

Theme Thursday - Partes do Corpo

Theme Thursdays é uma rubrica semanal, que funciona de quinta a quinta, organizada pela kavyen do blog Reading between Pages. 

Todos podem participar! Estas são as regras:
  • Um tema será colocado online todas as semanas (à quinta)
  • Pegar no livro que estamos a ler e escolher uma conversa/fragmento/frase
  • Mencionar o autor e o título do livro no post
  • É importante que o tema seja mencionado na frase (embora esta não tenha, necessariamente, de conter a palavra)
O tema desta semana é - PARTES DO CORPO (mãos,pés, dedos, cintura...)








"Pelagia ergueu para Corelli uns olhos suplicantes, e ele sorriu, tocou-lhe no ombro, bateu levemente com o indicador numa narina e piscou-lhe o olho".

página 222, "O Bandolim do Capitão Corelli" de Louis de Bernières

Revista Nova Gente lança colecção de Chicklit clássico


É já a partir do próximo Sábado (16 de Julho) que a Nova Gente se faz acompanhar de livros clássicos de Chicklit (literatura tipicamente feminina), por apenas mais 1,99€ acrescentados ao valor da revista. Se apreciam o género ou procuram apenas livros divertidos para ler no Verão, não percam.
Todos os Sábados, até dia 6 de Agosto, sai um volume novo. Os livros disponíveis são:

Papá das pernas altas , Jean Webster - Dia 16 de Julho
Uma rapariga à moda antiga, Louisa May Alcott - Dia 23 de Julho
Amores de uma solteirona, Lillian Bell - Dia 30 de Julho
Querido Inimigo, Jean Webster - Dia 6 de Agosto

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Música do dia - Jeff Buckley : Last Goodbye

O que comprei e o que me emprestaram 2

Neste último mês não tenho feito uma leitura tão extensiva como faria noutras circunstâncias, mas com outras coisas a necessitarem urgentemente do meu tempo não posso pura e simplesmente dedicar-me à leitura o quanto gostaria. De qualquer das formas, encontra-se sempre algum livrinho interessante que comprar ou pedir emprestado.


Os últimos volumes que comprei foram:

Criadas e Señoras de Kathryn Stockett (versão em castelhano de "As Serviçais")
O Monte dos Vendavais de Emily Bronte (edição Book.it)







Trouxe ainda emprestados da biblioteca da Sahra :


O Bandolim do Capitão Corelli de Louis de Bernières
Flores na Tempestade de Laura Kinsale (que já li e do qual publiquei a minha opinião aqui no blog)
6 de Abril de '96 de Sveva Casati Modignani






A minha prima K. trouxe-me de França um livrinho que espero ler em breve:


Le Diable s'habille en Prada de Lauren Weisberger

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Theme Thursday - Partes da face

Theme Thursdays é uma rubrica semanal, que funciona de quinta a quinta, organizada pela kavyen do blog Reading between Pages. 

Todos podem participar! Estas são as regras:
  • Um tema será colocado online todas as semanas (à quinta)
  • Pegar no livro que estamos a ler e escolher uma conversa/fragmento/frase
  • Mencionar o autor e o título do livro no post
  • É importante que o tema seja mencionado na frase (embora esta não tenha, necessariamente, de conter a palavra)
O tema desta semana é - PARTES DA FACE (olhos, orelhas, nariz, lábios, etc.)


"O que mais me atraía era o seu rosto.Uma madeixa negra caía-lhe rebelde sobre os olhos. Uns olhos muito escuros, dispostos à maneira eslava, acima dos ossos malares proeminentes. Tinha uma boca grande, cheia, que ganhava a forma de um sorriso permanente, irónico, enviesado e um nariz etrusco que, inexplicavelmente, parecia ter-se tornado um pouco arqueado na cana".

página 48, "O Bandolim do Capitão Corelli" de Louis de Bernières

sábado, 2 de julho de 2011

Filme- Miss Pettigrew lives for a day


Sinopse:
Londres, 1939. Miss Guinevere Pettigrew é uma governanta de meia-idade que se vê, mais uma vez, despedida injustamente. Sem sequer receber uma indemnização, Miss Pettigrew conclui que, pela primeira vez em duas décadas, tem que aproveitar o momento. E faz isso, aceitando um emprego como "secretária social", um trabalho muito diferente do que ela sabe fazer. Mal chega a um apartamento de luxo para uma entrevista, Miss Pettigrew é catapultada para a espiral sedutora e estonteante do mundo social da actriz e cantora americana, Delysia Lafosse. Em minutos, Miss Pettigrew vê-se arrastada para um ambiente de alta sociedade e, dentro de algumas horas, a vivê-lo. Levando a peito a designação de "secretária social", ela tenta ajudar a sua nova amiga Delysia a conduzir a sua vida amorosa e a sua carreira, ambas complicadas por causa de três homens que andam à sua volta: Michael, um devoto pianista, Nick, um intimidador dono de um clube nocturno e Phil, um sensível jovem empresário. A própria Miss Pettigrew sente-se atraída pelo galante Joe, um designer bem sucedido que está noivo da orgulhosa crítica de moda Edythe – a única pessoa que vê a nova "secretária social" fora do seu ambiente e planeia humilhá-la. Nas próximas 24 horas, Guinevere e Delysia vão ajudar-se uma à outra a encontrar os seus destinos de amor.

Opinião:
Este filme é simplesmente delicioso! Achei-o um filme leve e bem-disposto com uma protagonista absolutamente fantástica! Miss Pettigrew é o que comummente se chama um verdadeiro "anjo da guarda" e, apenas num dia, transforma a vida de Delysia Lafosse e de tantos outros com que se cruza. Até a sua própria  vida dá uma volta completa! Miss Pettigrew vê-se arrastada para um mundo repleto de festas, glamour e lascívia, até aí completamente desconhecido para ela. E é nesse ambiente, em que Delysia tem o seu habitat, que Miss Pettigrew se deve orientar e viver o dia mais preenchido e emocionante de toda a sua vida.
Devo dizer que gostei mesmo muito deste filme, embora não tenha muita substância, ensina-nos que o amor e a felicidade são mais importantes que o dinheiro e o luxo. Além disso a época em que se passa o filme,no final dos anos 30, é retratada de forma magnífica, com a ameaça da Segunda Guerra Mundial, o sonho americano de fama  e riqueza e a paixão generalizada pelo cinema. 
Gostei imenso e recomendo! 

Classificação:5/5


Trailer:

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Bright Star - John Keats



Bright Star - John Keats

Bright star, would I were stedfast as thou art-
Not in lone splendour hung aloft the night
And watching, with eternal lids apart,
Like nature's patient, sleepless Eremite,
The moving waters at their priestlike task
Of pure ablution round earth's human shores,
Or gazing on the new soft-fallen mask
Of snow upon the mountains and the moors--
No--yet still stedfast, still unchangeable,
Pillow'd upon my fair love's ripening breast,
To feel for ever its soft fall and swell,
Awake for ever in a sweet unrest,
Still, still to hear her tender-taken breath,
And so live ever--or else swoon to death. 




Lido por Rupert Penry-Jones:




Fosse eu imóvel como tu, astro fulgente!
Não suspenso da noite com uma luz deserta,
A contemplar, com a pálpebra imortal aberta,
 – Monge da natureza, insone e paciente –
As águas móveis na missão sacerdotal
De abluir, rodeando a terra, o humano litoral,
Ou vendo a nova máscara – caída leve
Sobre as montanhas, sobre os pântanos – da neve,
Não! mas firme e imutável sempre, a descansar
No seio que amadura de meu belo amor,
Para sentir, e sempre, o seu tranqüilo arfar,
Desperto, e sempre, numa inquietação-dulçor,
Para seu meigo respirar ouvir em sorte,
E sempre assim viver, ou desmaiar na morte.

Tradução de Péricles Eugénio da Silva Ramos