sábado, 30 de abril de 2011

Theme Thursday (atrasado...)

Theme Thursdays é uma rubrica semanal, que funciona de quinta a quinta, organizada pela kavyen do blog Reading between Pages. Achei muito interessante esta iniciativa, então quis participar e fazer tudo direitinho, mas esqueci-me e parece que para mim é Theme Saturday...

Todos podem participar! Estas são as regras:
  • Um tema será colocado online todas as semanas (à quinta)
  • Pegar no livro que estamos a ler e escolher uma conversa/fragmento/frase
  • Mencionar o autor e o título do livro no post
  • É importante que o tema seja mencionado na frase (embora esta não tenha, necessariamente, de conter a palavra)

O tema desta semana é - ATMOSFERA (algo que sugira "assustador" ou "tenso" ou "romântico"... etc.)

"Olhando para trás, Liesel não sentia vergonha por o ter roubado.Pelo contrário, o que mais se assemelhava a essa pequena poça de sentir algo no estômago, era orgulho. E fora a raiva, e um ódio negro que alimentara o seu desejo de o roubar.De facto, a 20 de Abril - o aniversário do Fuhrer-, quando arrebatou aquele livro debaixo de um monte de cinzas, Liesel era uma rapariga feita de trevas.


A pergunta, como é óbvio, deveria ser porquê?
O que havia para justificar a raiva?
O que acontecera nos últimos quatro ou cinco meses para culminar em tal sentimento?
Resumindo, a resposta ia da Rua Himmel até ao Fuhrer e à impossibilidade de localizar a sua mãe verdadeira, e voltava de novo para trás." pág. 76, A rapariga que roubava livros, Markus Zusak.

Música do dia- Sunday Girl, Florrie Arnold

Uma música "feel good" que já todos devem conhecer do anúncio de televisão. Enjoy!

Uma imagem vale mais que mil palavras...














segunda-feira, 25 de abril de 2011

Japão

    

     Como já tinha dito, tenho um grande fascínio pela cultura japonesa. Animes e mangas, livros, filmes,música e gastronomia - conseguimos ter uma pequena amostra do Japão aqui no Ocidente. No entanto, o que mais me fascina é a aura de mistério em que o Japão está envolto, o misticismo que lhe é atribuído, todas as cerimónias, rituais, a ética social e a história. Lembro-me que quando li " As memórias de uma gueixa" fiquei quase obcecada com tudo o que dizia respeito ao país: comecei a apreciar a capacidade de aliar o antigo e o ultra-moderno e a pertinácia em evoluir valorizando o passado. 
     A "terra do sol-nascente" tem imensas tradições e peculiaridades: o uso do quimono, a cerimónia do chá, a observação da natureza, os piqueniques sob as cerejeiras em flor(hanami),ikebana, samurais, gueixas ... Para não referir as excentricidades modernas a nível da tecnologia e da moda. Isto tudo é o que o torna um país único, com uma cultura fascinante e enorme projecção mundial.



domingo, 24 de abril de 2011

Música do dia

Panic! at the Disco são uma das minhas bandas de eleição.Oiçam o novo single "Ballad of Mona Lisa". Viciei!

sexta-feira, 22 de abril de 2011

Memórias de uma gueixa - Arthur Golden

     Tenho uma  paixão pela cultura japonesa que vem do dia em que comecei a ler esta fantástica obra. A vida de Sayuri (nascida Chiyo), uma gueixa no bairro de Gion, em Quioto, é-nos contada através das suas próprias palavras, que nos transportam até ao Japão dos anos 20 e 30. A história inicia-se com a infância de Chiyo numa aldeia de pescadores e transita para a altura em que é vendida a uma okiya (casa de gueixas) onde se torna uma maiko(aprendiz de gueixa). A irmã, que também é vendida com ela, acaba por não ir parar à mesma casa, mas sim a um prostíbulo. Quando Chiyo a encontra, decide-se a fugir com ela mas, durante a fuga da okiya através do telhado, cai  e é descoberta. Então é proibida de ter aulas como aprendiz de gueixa e permanece na okiya apenas como criada.
     Alguns anos mais tarde, é encontrada a chorar na rua por um homem muito distinto que a consola e lhe demonstra simpatia. Chyio nunca mais o esquece e decide-se a tornar-se uma gueixa e a  procurá-lo, no entanto, passariam vários anos até poder retomar os seus estudos sob a tutela de Mameha, uma das gueixas mais influentes do Gion. É a partir daí que a vida de Chyio(mais tarde a gueixa Saiyuri) muda completamente.
     Este livro despertou-me o interesse, inicialmente, por causa da capa lindíssima e porque não sabia grande coisa sobre gueixas e gostaria de saber mais. Afinal as gueixas são bem mais do que um suporte para os quimonos que usam- são mulheres inteligentes, muito cultas e extremamente dotadas, especializadas em entreter em festas e casas de chá, conversando, tocando instrumentos musicais, dançando e recitando poesia.  
     A versão em filme também é óptima e mantém-se muito fiel ao livro. É uma obra que recomendo a quem goste de uma história diferente contada num romance marcante e, claro está, aos apreciadores da cultura nipónica.

sábado, 16 de abril de 2011

Música do dia

Um dos novos talentos da música em Portugal. Devem lembrar-se dela na primeira edição do "Ídolos". Parece-me que podemos esperar grandes coisas julgando pela qualidade desta música.

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Heroína Literária do Mês : Jane Eyre

     Como muitos de vocês devem saber, no dia 21 deste mês estreia entre nós a mais recente adaptação cinematoráfica do mais que famoso clássico inglês "Jane Eyre", da fantástica escritora Charlotte Bronte (irmã da Emily Bronte que escreveu "O Monte dos Vendavais"). Então nada melhor do que inaugurar esta série de posts "Heroína Literária do Mês" com nada mais nada menos que a Jane Eyre.
      Jane começa por ser logo de início uma personagem feminina atípica, principalmente para a literatura da época. É-nos apresentada como uma criança inteligente e imaginativa,com um enorme medo do desconhecido, movido  por uma crença absurda em superstições que, no livro, se materializam no horror de ver o fantasma do tio. Na verdade, Jane é uma órfã que, desde muito nova, é acolhida pelo irmão da falecida mãe que, por sua vez, acaba por morrer pouco depois de ela ter chegado à sua casa e a menina tem de lidar com os constantes castigos e humilhações da tia e dos primos. Sendo considerada um fardo para a família, Jane é mandada para um colégio interno onde passa muitas provações, mas onde encontra a sua primeira amiga. Durante os anos no colégio, Jane destaca-se como aluna e, terminada a sua formação, consegue o cargo de professora . No entanto , não é isso que pretende e procura trabalho como perceptora. Acaba por ser aceite como perceptora de uma menina francesa em Thornfield Hall. Esta menininha estava à guarda de um tal de Edward Rochester que se encontra permanentemente em viagem.
    Quando Jane e Rochester se conhecem começa a verdadeira história - conseguem cativar-se mutuamente, pois são dois seres desligados do mundo. Jane é uma jovem mulher com ideias de independência, com um grande carácter e extremamente conscienciosa e não sendo a normal donzela frágil que necessita de alguém que a salve das complicações é, na realidade, ela que acaba por salvar Rochester da loucura.
     A Jane é sem dúvida alguma uma personagem feminina marcante e muito bem desenvolvida e,ao longo do livro, temos acesso aos seus pensamentos e opiniões. Extremamente consciente da fé que a move, tem uma maneira muito própria de ver a religião e aquilo em que acredita, a liberdade e o dever. A sua história fala-nos de amor, mentira, felizes coincidências e de laços que nos transcendem. Leiam o livro,antes de ir ver o filme. Realmente vale a pena.

Música do dia


Mumford&Sons é uma daquelas bandas que se gosta porque se gosta e porque é bom. Tem o seu quê de tradicional, instrumentos não muito usados na chamada "main stream music" e letras absolutamente fantásticas. Vale a pena ouvir e chorar por mais!

quarta-feira, 13 de abril de 2011

O que comprei e o que me emprestaram 1

       Tenho aproveitado sempre que posso obter livros por empréstimo, quer de amigos quer da biblioteca, no entanto por vezes lá vem a tentação que me faz querer ter aquele livro, que é só meu. ("My precious...") Um desses livros foi "A rapariga que roubava livros" de Markus Zusak , que já queria há tanto tempo e hoje vi em promoção na Fnac (desconto de 40%!!!) , então foi só pegar num exemplar e chamá-lo de meu !  Tinha ouvido falar tão bem dele e lido tantas críticas maravilhosas, que não hesitei.Tem cheirinho de livro novo e eu amo cheirinho de livro novo! Os outros eu comprei em alfarrabistas, a preço bastante reduzido.


Ultimamente, os livros que me emprestaram foram :
Da biblioteca li ainda :

Todos os livros têm link para o site da Wook, se estiverem interessados. 


Música do dia


Música linda! Fica aqui o link para a letra.

Coisas doces - Muffins de morango

Ingredientes:
  • 2 e 1/4 de xícara de farinha de trigo peneirada
  • 1/2 xícara de açúcar
  • 3 colheres (chá) de fermento em pó
  • 1/2 colher (chá) de sal
  • 2 ovos
  • 1/2 xícara de óleo
  • 1/2 xícara de leite
  • 1 colher (chá) de essência de baunilha
  • 1 xícara de morangos em fatias
Preparação:

Pré-aqueça o forno a 200°.
Prepare cerca de 14 formas de queques (normais ou de papel) ou 7 formas de muffins (aquelas grandes) e unte-as com margarina e polvilhe com farinha.
Misture a farinha, o açúcar, o sal, o fermento.
Num outro recipiente bata os ovos e acrescente o óleo, a baunilha e o leite.
Acrescente essa mistura aos ingredientes secos e mexa rapidamente, apenas para incorporar, deixando a massa levemente irregular (mas bem mexida).
Junte os morangos e incorpore.
Distribua nas forminhas e leve ao forno por 25 minutos, ou até que passe no teste do palito e estejam douradas (não deixei dourar muito).


Esta receita, tirei do blog da Nárwen!Passem por lá, sinceramente merece uma visita!

O principezinho


    A minha paixão pelos livros começou tinha eu 7 aninhos, quando alguém da família me ofereceu um volume d' "O Principezinho". À primeira vista lembro-me de não me ter despertado o mínimo interesse  porque,não só os "desenhos" eram estranhos, como também me pareceu que tinha texto corrido a mais para o meu gosto, mas de qualquer das formas, decidi-me a fazer de menina crescida e comecei a lê-lo. Bom, posso dizer que me causou uma impressão que dura até aos dias de hoje: fiquei maravilhada! O livros conta-nos as aventuras de um menino-príncipe que vive num planeta só seu e que decide visitar os planetas que o rodeiam, encontrando pelo caminho a maldade, a ganância, a prepotência, a vaidade, o egoísmo, mas também descobre a amizade que nunca teve numa raposa que encontra na sua visita à Terra. Bem, uns anos mais tarde voltei a ler este livro e foi aí que percebi que talvez não fosse um livro apenas dirigido a crianças; claro que me entreteve muito esta aventura quando era mais nova, mas quando o li mais recentemente pareceu-me que o seu significado tinha algo de  muito profundo e só  podia ser entendido por pessoas com alguma experiência. Explora muito a condição humana, a ruindade do mundo e também nos fala do poder das coisas boas, como a amizade. O autor faz muitas observações sobre o mundo e expressa muitas máximas sobre a vida em geral. Gosto mesmo muito deste livro e recomendo vivamente a todos.


Algumas citações interessantes:

"Os caminhos vão todos dar aos homens."

"Os homens não têm imaginação,repetem o que se lhes diz."

"O verdadeiro amor nunca se desgasta, quanto mais se dá, mais se tem."

"Só se vê bem com o coração, o essencial é invisível aos olhos."

terça-feira, 12 de abril de 2011

Olá blogosfera

Olá a todos, sou a Luh, uma rapariga apaixonada por livros, cinema, boa música e culinária : D ! Pretendo que este blog tenha um pouco disso tudo, dando um ênfase especial aos livros. Será uma página dedicada basicamente a divulgar livros e a suscitar o interesse na leitura, que é um hábito que se tem vindo a perder com o tempo. Espero contar com o vosso apoio!  Luh